Políticas de Comércio e Investimentos

A Comissão Global de Políticas de Comércio e Investimento da ICC tem a missão de expor a visão do setor privado sobre o comércio e defender uma das principais bandeiras da organização globalmente, que é o impacto positivo que o comércio internacional oferece ao crescimento econômico e à prosperidade compartilhada.

A Comissão globalmente dialoga diretamente com a Organização Mundial do Comércio, apresentando as orientações estratégicas do setor privado na condução da agenda da organização e elaborando recomendações para impulsionar as negociações comerciais multilaterais. Outro foco da Comissão é a promoção de marcos regulatórios que incentivem os investimentos internacionais.

A Comissão tem exercido papel importante também nas discussões de reforma da OMC, além de participar da agenda de comércio de outros importantes fóruns como a OCDE, a UNCTAD e o G20-B20.

No Brasil, a Comissão é a primeira linha de atuação da ICC para avançar na discussão de temas estruturais para a expansão do comércio no país, estabelecendo um diálogo estratégico com o governo e avançando uma agenda que fomente o crescimento da competitividade, da produtividade e, consequentemente, uma maior qualificação e inserção econômica do Brasil no mundo.   

Atualmente, a Comissão Global é presidida por James Bacchus, Chair of Global Practice at Greenberg Traurig LLP (EUA), e vice-presidida por Philippe Delleur, Senior Vice President of Public Affairs at Alstom (França), e Ulf Pehrsson, Vice President of Government and Industry Relations at Ericsson (Suécia).

No Brasil, a Comissão é presidida por Frederico Marchiori, Global Head de Relações Institucionais da Oxiteno, vice-presidida por Eduardo Vasconcelos, Diretor de Relações Institucionais, Antitruste e Comércio na Whirlpool LATAM, e tem como Secretário-Executivo Luiz Eduardo Salles, Sócio do Azevedo Sette Advogados.

Principais projetos da Comissão no Brasil

  • Monitoramento das propostas de reforma tributária, com foco no impacto para exportações do Brasil, para posicionamento da ICC.
  • Apoio à adesão do Brasil à OCDE e adoção dos padrões da OCDE no país.
  • Aumento da competitividade e inserção comercial nas cadeias globais de valor, a começar pela inserção do setor de serviços, com foco no aumento do valor agregado.
  • Acompanhamento e advocacy em relação às propostas de reforma da OMC.
  • Acompanhamento da agenda de acordos comerciais do Brasil, especialmente em relação ao acordo Mercosul-União Europeia.
  • Monitoramento das pautas relacionadas ao Mercosul como um todo: reforma institucional e novos acordos.

Consulte aqui mais informações sobre o trabalho da Comissão Global.

None